O medo de voar, aerofobia ou aviofobia é o medo que algumas pessoas sentem de viajar de avião. É de origem psicológica e pode ser erradicado seguindo uma série de dicas, por meio de terapia psicológica. A seguir, mostramos as causas e os tipos de medo de voar de avião, algumas técnicas para saber como superá-lo e os medicamentos que podem ser tomados para minimizar os sintomas dessa fobia.

Abaixo, você tem um índice com todos os pontos que abordaremos neste artigo.

Causas

Atualmente, estima-se que uma em cada quatro pessoas têm medo de voar, dos quais aproximadamente 13% sofrem de verdadeiro pânico e 15% sentem um desconforto leve ou moderado ao saber que vão voar.



Se tivéssemos que responder à pergunta de quantas pessoas têm medo de voar, a resposta seria que quase 30% das pessoas sofrem dessa fobia diariamente. No entanto, o medo de voar é origem psicológica e pode ser tratado com diferentes técnicas dependendo da intensidade com que é sofrido.

Na maioria dos casos, o medo de voar não é apenas um medo repentino gerado sem motivo, mas é a extensão de uma fobia anterior. Portanto, antes de buscar soluções possíveis para superá-lo, devemos encontrar a verdadeira origem psicológica da aerofobia. A seguir estão as causas mais comuns de medo de voar:

Condições climáticas adversas

Chuva, vento, tempestade, nevoeiro, cinzas de um volcán ativo e outros fenômenos atmosféricos são as principais causas de aerofobia em uma alta porcentagem de passageiros aéreos, especialmente porque temem que isso possa causar um acidente de avião.

Visto que tempestades, neve, chuvas fortes e, em geral, condições climáticas negativas tendem a acontecer com mais frequência inverno, há passageiros que temem voar diretamente nesta época do ano.

Hidrofobia ou aquafobia

É um medo irracional de água ou natação. Quando uma pessoa sabe que o avião ou helicóptero vai voar sobre o mar, sofre de aquafobia, pois teme que o avião sofra algum acidente e caia no mar.

No entanto, cada passageiro deve levar em consideração a quantidade de recursos de resgate e segurança disponíveis para cada aeronave, incluindo coletes salva-vidas.

Voe pela primeira vez

Muitas pessoas evitam voar ao longo da vida exatamente porque sofrem de aerofobia. Outros, por outro lado, não podem evitá-lo por motivos de trabalho ou estudo, entre outros.

Para essas pessoas, a primeira vez pode ser aterrorizante, principalmente porque não sabem o que vão enfrentar e temem que aconteça alguma das causas citadas acima: turbulências, tempestades, ventos fortes ...

Acrofobia ou vertigem

Esse medo se traduz em medo de altura e gera ansiedade em quem sofre com isso. A acrofobia é gerada por insegurança e medo ao imaginar a possibilidade de cair a si mesmo ou mesmo a terceiros se viajar com alguém.

Pessoas que sofrem desta fobia não conseguem praticar esportes radicais como paraquedismo ou parapente, mas, além disso, viajar de avião é outro de seus piores inimigos.

Voos noturnos

As pessoas que sofrem com essa insegurança costumam ser aquelas que sofrem de Nichtophobia, isto é, medo do escuro ou da noite.

Esse grupo tem medo de voar à noite ou mesmo com forte neblina ou nuvens, pois acredita que quanto piores as condições de visibilidade, maior o risco de acidente.

No entanto, voar sem referências visuais é algo que sempre existiu, já que há países com pouquíssimas horas de luz, por exemplo. Existem procedimentos, sistemas e normas de navegação altamente avançados que permitem voar à noite com toda a segurança de um voo diurno.

Voos de longa duração

Medo de voos longos ou transoceânico é possivelmente o resultado da adição de todas as causas anteriores; o pensamento de uma pessoa sofrendo de aerofobia porque ela vai experimentar um voo de longa duração é: quanto maior a duração, maior o risco de ocorrer um problema.

Nestes casos, o conforto desempenha um papel fundamental, então tome a decisão certa quando se trata de escolha um assento no avião pode ser muito benéfico.

Voe desacompanhado

A presença de um companheiro, seja o companheiro, amigo ou familiar pode ser muito reconfortante para quem tem medo viajar de avião ou se sentir desconfortável com isso.

Ter alguém ao lado para nos ajudar a relaxar e com quem possamos conversar Durante o voo, pode nos fazer esquecer qualquer medo e até desabafar.

Por isso, quem é obrigado a viajar sozinho sente-se muito desconfortável, porque não tem ninguém ao seu lado para compartilhar suas preocupações. Nestes casos, é aconselhável informar o pessoal da tripulação.

Decolar e pousar

Os momentos em que o avião decola e pousa são momentos-chave durante toda a viagem de avião, pois é quando tudo começa e quando termina.



Principalmente durante a decolagem, todos os passageiros experimentam uma certa sensação de choque porque o avião precisa atingir muita velocidade para decolar. Apoie-se bem no apoio de braço e, acima de tudo, relaxe pode ser útil nesses casos.

Para ajudá-lo a superar sua aerofobia, caso a causa seja o momento da decolagem ou o momento da aterrissagem, recomendamos que você assista a este vídeo onde um piloto profissional explica passo a passo todas as medidas de segurança que são realizadas antes de iniciar qualquer um desses dois processos:

Claustrofobia

Essa fobia comum nada mais é do que o medo de espaços fechados. Esse medo, por sua vez, pode muito bem ser causado pelo medo de apenas ser capaz de fazer movimentos restritos ou medo de que falte oxigênio no espaço em que nos encontramos.

O avião é um local fechado onde se reúne um grande número de pessoas e, além disso, os assentos são estreitos. Tudo isso gera claustrofobia para quem sofre com isso.

turbulência

Muitas pessoas têm medo de turbulências durante o voo, seja porque acham que isso causará um acidente de avião ou porque temem ficar tontas ou se machucar.

No entanto, a turbulência que ocorre na grande maioria dos voos é luz ou moderados, para que não representem perigo para quem viaja no referido avião.

Os sintomas

O medo de voar gera ansiedade y estresse, da qual derivam vários sintomas, quer a nível fisiológico, a nível psicológico ou cognitivo ou a ambos os níveis. Listamos os dois tipos de sintomas abaixo.

Sintomas fisiológicos

Os sintomas físicos que as pessoas afetadas por esta fobia geralmente apresentam são:

  • Espasmos musculares
  • Dificuldade para respirar
  • Palpitações cardíacas
  • Dor no peito
  • Taquicardia
  • Tremor
  • Dor abdominal
  • Distúrbios gastrointestinais e diarreia
  • suando
  • Mal-estar
  • Fadiga, náusea ou tontura
  • Calafrios
  • Xerostomia ou boca seca
  • Dor de cabeça
  • Rubor ou palidez

Sintomas psicológicos

Em um nível mental e emocional, pessoas que sofrem de medo de voar geralmente apresentam um ou mais dos sintomas listados abaixo:

  • Falhas de memória
  • Redução de reflexos ou distorção de percepção
  • Irritabilidade
  • Desorientação
  • Incapacidade ou dificuldade de pensar, concentrar-se ou tomar decisões
  • Negatividade e pessimismo

Além disso, em um nível observável, as pessoas que sofrem de aerofobia podem atingir lamentar, realizar movimentos que manifestam um inquietação motora (coçar, tocar a mesma área do corpo, etc.) ou até mesmo ficar paralisado.

dicas

Seja qual for a intensidade com que você sofre de medo de voar, antes de tomar medicamentos ou recorrer a curas mais agressivas, recomendamos que siga as seguintes dicas ou dicas. Seguindo estes truques simples, você pode superar seu medo e não precisa fazer mais nada:

  • Analise o terreno: muitas pessoas, principalmente aquelas que têm medo de voar porque é a primeira vez que o fazem, sofrem de aviofobia porque não sabem o que estão enfrentando. Portanto, aprender sobre o processo de viagens aéreas, ler estatísticas ou pedir opiniões de quem já voou pode ser muito útil e vai te ajudar a saber o que esperar.
  • Prepare seu voo com antecedência: organizar uma viagem no último minuto, gera ansiedade e estresse, mesmo nas pessoas que não sofrem de aerofobia. Ainda mais naqueles que sofrem. Portanto, não deixe os preparativos para o último minuto, pois aos medos que provocam o medo de voar pode se acrescentar outro relacionado à falta de um documento importante ou ao esquecimento de um objeto necessário para a viagem.
  • Aprenda a controlar a ansiedade: Já mencionamos anteriormente como a ansiedade pode ser controlada: seja com livros de autoajuda, seja com ajuda psicológica ou medicamentosa. Em qualquer caso, saber a origem do nosso medo também pode ser de grande ajuda.
  • Fique confortável no aviãoUsar roupas e sapatos confortáveis, escolher um bom assento, fazer algo divertido ou conversar com a pessoa ao nosso lado pode aumentar nosso nível de conforto durante a viagem e, consequentemente, relaxar e nos fazer sair da aerofobia estacionados.
  • Voa com frequência: o medo de voar é superado voando. É tão simples quanto isso. Por isso, o nosso conselho é que voe com a maior frequência possível, pois acabará por se habituar e perceber que viajar de avião é igual ou até mais seguro que qualquer outro meio de transporte.

Tratamento

O medo de voar é de origem psicológica e, portanto, deve ser tratado com terapia e com a ajuda de um psicólogo, se necessário. Para casos mais leves, existem cursos oferecidos pelas próprias companhias aéreas a preços diferentes, cujo objetivo é ajudar os passageiros com aerofobia a superá-la. Outra opção são livros de auto-ajuda, como o famoso Voo feliz. Como perder o medo de voar (2002) por Javier del Campo Martín (ex-piloto Iberia) e Luisa del Campo Martín-Cobos.

Tratamento psicológico

No caso de necessidade de tratamento psicológico, é possível recorrer a técnicas como hipnose. No entanto, o método mais recomendado é o terapia cognitivo-comportamental, por meio da qual o paciente é gradualmente exposto à situação que lhe causa a fobia, para que aos poucos possa controlar a ansiedade que isso lhe causa. Além disso, este método ensina técnicas de relaxamento altamente úteis, como as mencionadas abaixo:

  • Relaxamento muscular progressivo: o objetivo é que o paciente tome consciência de quanta tensão foi gerada em seus músculos para que seja gradualmente eliminada.
  • Exercícios de controle de respiração: como a técnica de respiração profunda.
  • Parada de pensamento: trata-se de captar um a um os pensamentos negativos que vêm à mente do paciente e parar para nos analisar para acabar substituindo-os por outros mais positivos.
  • Distração: Esta técnica é a mais simples de todas, pois consiste em encontrar diversão para quando chegar o momento de ansiedade. Leia, ouça música, escreva, etc. eles são bons entretenimentos durante um vôo.
  • Rir: é simples e está disponível para todos. É tão fácil quanto tentar substituir um pensamento negativo por algo engraçado ou que nos faça sorrir.

Medicação

Embora drogas Para superar a aerofobia, eles não eliminam a ansiedade, mas antes ajudam o passageiro a relaxar, muitas pessoas são capazes de enfrentar um vôo graças a um desses remédios.

Em qualquer caso, deve ir sempre ao médico para nos aconselhar sobre o que devemos levar em consideração tendo em conta a nossa fisionomia. O que você não deve fazer é se automedicar, pois isso pode se tornar contraproducente e aumentar nosso medo.

Aqui estão os cinco medicamentos e tratamentos homeopáticos mais comuns para superar o medo de voar:

  • Hipnóticos
  • Ansiolíticos, como alprazolam o diazepam
  • Argentum nitricum (nitrato de prata)
  • Gelsenium (remédio natural à base de jasmim)
  • Pílulas para dormir

É importante sempre levar o dosagem adequada de qualquer uma dessas drogas ou pílulas, pois se abusarmos, podemos obter o efeito oposto e aumentar nossa ansiedade.

Rapazes

As crianças também podem ter aerofobia na primeira vez que voam, basicamente por se tratar de um meio novo, grande e que viaja muito rápido e em grandes altitudes. Levando isso em consideração, é normal que uma criança tenha medo desse meio de transporte. No entanto, esse medo pode ser reduzido se os ajudarmos com estes três truques simples:

  • Mantenha-se entretido: Trazer brinquedos, um livro ou qualquer outro entretenimento pode fazê-los esquecer qualquer preocupação.
  • Antecipe o que você encontrará: Se esta é a primeira vez que ele está viajando, explique como é uma viagem de avião: descreva como é um avião, mostre a ele vídeos, filmes infantis, etc.
  • Faça ele se sentir seguro: se uma criança percebe medo ou ansiedade em quem a acompanha, ela também sentirá esse desconforto. Não há melhor maneira de deixá-los à vontade do que mostrar-se relaxado.

Quanto aos bebês, o contato corporal os acalma, assim como o balanço suave. Outra técnica para que não fiquem nervosos é falar com eles em tom descontraído e suave.

Este artigo foi compartilhado 130 vezes. Passamos muitas horas coletando essas informações. Se gostou, compartilhe, por favor: